Arquivo da categoria: Ufologia

Textos sobre ufologia e afins

OVNIs – Um Eterno Quebra-Cabeças?

Wilson G. de Oliveira

O monitoramento das instituições terrestres, religiões, governos, forças armadas, ciências, etc. por inteligências alienígenas é uma hipótese absurda  para o pensamento científico. Partindo da problemática ufológica, muito poucas hipóteses não o são. Além disso, a idéia de monitorar pode soar muito apropriada a regimes totalitários, o que torna o assunto assustador. Continue lendo OVNIs – Um Eterno Quebra-Cabeças?

Documento sobre Caso Papuda é Liberado

A campanha UFOs: Liberdade de Informação iniciada em 2004, pede abertura governamental para a questão ufológica. Já houve algum resultado com a liberação de informações sobre o tema UFO através da antiga legislação. Uma visita da Comissão Brasileira de Ufólogos à sede do CINDACTA e do COMDABRA em BRASÍLIA em 20 de maio de 2005, com direito a visualizar alguns arquivos, marcou o início do protagonismo da campanha. Continue lendo Documento sobre Caso Papuda é Liberado

Por que não existem ETs do mal?

Gostaria de dizer algo sobre este, tão humano, Laércio Fonseca. Sobre o que representa o seu pensamento para a sociedade humana planetária terrestre. Trata-se de alguém que acompanho à distância desde os anos 80.

As reflexões e questionamentos que ele propõe, são a meu ver, valiosíssimos. Embora polemizados, por uns e outros, envolve não só o tema dos extraterrestres, mas toda a vida humana em nosso planeta: a)Suas reflexões acerca de uma análise ufológica para além do alcance da dualidade bem e mal; b) Sua coragem de enfrentar a defesa contraditória, de alguns, de que a ação mediúnica seria exclusividade das religiões que a praticam; c) As críticas sofridas por ele no passado, provenientes de praticantes espíritas, de que ET não tinha nada a ver com espírito. Esta última, contrariando os princípios fundamentais da doutrina espírita. Ironia do destino, a teoria que o Prof. Laércio apresenta poderá permitir uma melhor compreensão da própria Doutrina Espírita no que respeita a estas relações não detalhadas por Kardec, relativo à pluralidade dos mundos habitados;  e d) suas publicações instigantes desde o trabalho “ufologia psíquica” publicado na década de 80, o Projeto Terra e suas obras mais recentes envolvendo espiritualidade e física quântica, cosmologia e astrofísica.

Muito significativo é o que acontece no íntimo de cada um que conhece o modelo de explicação concebido por ele. Sim, os referenciais que adquiridos ou construídos a partir de sua mensagem nos impacta. Cada ser humano, ao seu tempo e à sua maneira, vai experimentando a maravilhosa diversidade humana nos seus detalhes e complexidades. Vai construindo o seu próprio modelo de percepção da realidade. Seja intuindo, importando, assimilando, mesclando com outros modelos ou visões de mundo, aquilo que trás consigo.

O ato de observar, ouvir, experimentar e especialmente escrever nos possibilita disciplinar o pensamento e ampliar a consciência de nós e dos outros.  Explora-se os conceitos, os limites da linguagem, os limites dos modelos de compreensão de mundo, os limites humanos. E nesse caso específico, os limites da estrutura binária do pensamento humano, apesar de sua tecnologia de origem altamente sofisticada, refletidos nessa e em tantas outras dualidades.

O Professor Laércio começou esse processo na década de 70 e deixou muitas marcas a partir dos seus escritos e das suas práticas de Meditação e Tai Chi. Pontilhou o caminho das pedras para muitos. E segue sua jornada a partir do Ashram a Caminho da Luz em Limeira – SP.

Por onde passou e passa, leva sua energia e toda a potencialidade dos modelos orientais, Taoista e Budista.

Por enquanto, fica aqui a sugestão desse vídeo para que você conheça um aspecto do pensamento do Prof. Laércio Fonseca. Embora discordante, em alguns aspectos, como ele mesmo diz, da forma como outros pensam esse tema, trata-se, a meu ver, de um exercício reflexivo e libertador, maravilhoso.

A palestra fundamenta em muito a necessidade de estarmos abertos para a compreensão e aceitação do outro, das diferenças humanas em sentido amplo, como partícipes de um espaço e um tempo cósmicos. Mas também no campo específico das relações cotidianas, do aqui e do agora, em meio a diversidade da vida no planeta terra.Veja mais no site Caminho da Luz